Durante encontro com a presidência da CMS, técnicos administrativos relatam que ainda não receberam incorporação salarial da PMS

por Admin publicado 10/02/2021 14h54, última modificação 10/02/2021 14h54
A lei nº 021/2020, que trata do plano de cargos carreiras e salários, entrou na pauta da presidência da Câmara Municipal de Santana.
Durante encontro com a presidência da CMS, técnicos administrativos relatam que ainda não receberam incorporação salarial da PMS

Presidente Elma Garcia e servidores

A lei nº 021/2020, que trata do plano de cargos carreiras e salários, entrou na pauta da presidência da Câmara Municipal de Santana (CMS), nesta terça-feira (9), durante encontro com a comissão de servidores efetivos da Prefeitura de Santana, que integram o núcleo de técnicos administrativo.

 

A presidente da casa, vereadora Elma Garcia (DEM), acompanhada do 1º secretário da mesa, Adelson Rocha (PCdoB) e do 2º secretário, vereador Luizinho de Santana (Republicanos), recepcionou a comissão, que fez um detalhamento sobre a referida lei, que consideram ser um direito adquirido, tanto que foi aprovada pelo poder legislativo e sancionada pelo executivo santanense. 

 

Segundo a porta voz da comissão, Rosana Borges, que é servidora pública, lotada na secretaria de administração, todos os passos burocráticos já foram dados. “Está faltando apenas o atual Prefeito Bala Rocha autorizar a incorporação salarial, para que a aplicação da lei seja feita na sua totalidade, já que houve um acordo com a gestão anterior, para que a partir de Janeiro de 2021, fossem cumpridos os efeitos financeiros, independente de quem estivesse a frente da gestão”, pontuou a servidora. 

 

Ainda de acordo com Rosana, não se trata de uma questão política, essa é uma questão técnica e de diálogo. “Nossa intenção não é bater de frente com a atual gestão, muito menos causar um desconforto entre Prefeito e servidor, estamos hoje aqui na Câmara de Vereadores, para deixar a nova presidência informada sobre essa situação, que precisa ser resolvida de forma diplomática e amigável com o executivo”, concluiu Rosana.

 

Para a presidente da Câmara, vereadora Elma Garcia, a palavra de ordem neste momento é pacificação. “Ouvimos atentamente a comissão formada pelos servidores efetivos, que integram o núcleo administrativo da Prefeitura, e o que cabe a esta casa de leis é receber a demanda e fazer a interlocução junto ao executivo, para que de forma harmônica, tudo se resolva da melhor forma”, finalizou a presidente Elma.